Haicais Visuais

trabalhos que mesclam design, arte e poesia

Shine

Novo cartaz analisado

Volver - leia e escolha o próximo

Churches

Marcia Okida - arte e design

Design, cor e arte nunca se separam

Churches

design e tatuagens

as mandalas e seus simbolos

Civic Involvement

Revista Estar Bem

artigos sobre cores

Civic Involvement

presente especial

com muita arte e design

Civic Involvement

Na ZUPI

artigos sobre design

Civic Involvement

Sobre Coisas e Design

"artigos para o Artefatocultural"

Action

• Noite Estrelada é sobre meu trabalho e minhas paixões. Experimente cada área acima e espero que goste.

Mandalas, tatuagens e design

Revista Estar Bem artigos sobre cores

leia...

Nova análise de cartaz:

fev 24th, 2009 by márcia okida | 4

ddts1Deus e o Diabo na Terra do Sol, cartaz de Rogério Duarte, feito para o filme de Glauber Rocha, foi o cartaz escolhido na última enquete feita e que aproveito para lançar neste meu novo espaço. Um cartaz que faz parte da história do design e do cartazismo. Confira aqui e aproveite para votar na próxima enquete para decidir o próximo cartaz a ser desconstruído.

4 Responses to “Nova análise de cartaz:”

  1. 4
    Daniel Campos Says:

    Sensacinal Marcia!
    Estou encantado com suas análises. Trabalho unico.

    COnte sempre comigo e com o LogoBR ta legal!

    Grande abraço
    Daniel

  2. 3
    Clovis Jacob Says:

    Fiz um post do seu blog no meu site. Adoro suas análises!

    http://cinema-design.blogspot.com/2009/02/marcia-okida-e-suas-analises-de.html

  3. 2
    márcia okida Says:

    obrigada Miro, e é uma honra ter um comentário aqui de alguém que viveu tudo isso!!! bjs e obrigada pelas palavras

  4. 1
    Argemiro Antunes (Miro) Says:

    Bela escolha. Sou suspeito para opinar, pois tenho um cartaz montado num poster com dedicatória de dona Lúcia Rocha, mãe do Glauber. Em 1967, quando conheci Maurice Legeard, a sala do Clube de Cinema de Santos era pequena, na av. Ana Costa 272/15, mas tinha um cartaz de “Deus e o Diabo” que me marcou muito. O punhal que Othon Bastos segura, estive com ele nas mãos na casa de Geraldo D’el Rey, em SP, junto com Maurce e minha esposa, Albertina, em 1985. Geraldo falou horas das filmagens, da câmara que quebrou… O punhal divide a cabeça de Corisco em duas, “uma matando, a outra pensando”, como ele mesmo diz no filme. E o belo sol estilizado com o fundo vermelho… Possivelmente seja o cartaz mais famoso da época mais fértil que o cinema brasileiro atravessou, a fase cinemanovista, já em plena ditadura, sob uma censura absurda. Ferreira Gullar escreveu sobre o “cubismo” e os trogloditas acharam que era sobre Cuba. Ferreira contou esse absurdo em um documentário de Sílvio Tendler,u m cineasta preocupado com a memória dos brasileiros.

Leave a Reply