Haicais Visuais

trabalhos que mesclam design, arte e poesia

Shine

Novo cartaz analisado

Volver - leia e escolha o próximo

Churches

Marcia Okida - arte e design

Design, cor e arte nunca se separam

Churches

design e tatuagens

as mandalas e seus simbolos

Civic Involvement

Revista Estar Bem

artigos sobre cores

Civic Involvement

presente especial

com muita arte e design

Civic Involvement

Na ZUPI

artigos sobre design

Civic Involvement

Sobre Coisas e Design

"artigos para o Artefatocultural"

Action

• Noite Estrelada é sobre meu trabalho e minhas paixões. Experimente cada área acima e espero que goste.

Mandalas, tatuagens e design

Revista Estar Bem artigos sobre cores

leia...

cinema

“O cinema não tem fronteiras nem limites. É um fluxo constante de sonho.” – Orson Welles

Sou apaixonada por cinema! Bem, se você já leu algumas das outras páginas deste blog, deve estar pensando, “mas ela é apaixonada por tudo então”, já que tudo que tenho aqui são frutos de paixões.

E é por aí mesmo… sou apaixonada por tudo, ou por quase tudo, que tenha uma relação com emoção, imagem… sonho.

O cinema é uma história a parte. Desde menina, criança mesmo, essa relação já era forte. Quem me conhece já ouviu a história, real, do meu primeiro contato com uma câmera de cinema. Uma câmera S8 (super8) de meu pai, falecido em 2000.  Estávamos viajando por uma cidade — Analândia, cidade natal de minha mãe, também falecida em 1996.

Meu pai fazia fazia filmes e já havia ganhado alguns festivais de S8 pelo Brasil e estava iniciando um documentário sobre Analândia, a cidade que cresceu dentro de uma cratera de vulcão extinto. Ele precisava filmar a entrada da cidade e então foi até a estrada de carro, e eu, estava dentro do carro. Chegando lá ele não tinha como dirigir e filmar ao mesmo tempo, então virou para mim e me explicou direitinho o que fazer me colocando no banco, abrindo a janela e pedindo para que segurasse a câmera com firmeza e quando ele começasse a dirigir eu apertasse o botão de gravar, “o botão vermelhinho” ele disse.

A câmera era, praticamente, maior que meu rosto, muito maior que minhas mãos de criança.

Nunca vou me esquecer daquelas imagens reais e filmadas. Nunca vou me esquecer do som dela gravando, do meu pai dirigindo e da sensação de ajudar a mostrar uma história.

Pronto, o “estrago” foi iniciado e daí para frente a paixão pelo cinema só aumentou.

Aqui você vai encontrar de tudo um pouco que faz parte desta paixão.

Textos sobre filmes, direção de arte, trilhas sonoras, sugestões e também textos e informações sobre a Associação Cultural Vontade de Ver (ass. cultural de cinema e audiovisual que faço parte), sobre o Cinesurpresa (evento mensal que realizamos) e muitos outros assuntos relacionados a 7ª arte.

Como sempre também espero sua participação, opinião, sugestão.


Leave a Reply